Corações Partidos| 1° Capitulo| Julieta passa mal



Belo Horizonte – Apartamento de Bárbara – Manhã - Sala – 1990.

Julieta chega à casa de Bárbara.
Bárbara: Mamãe que surpresa boa! Faz muito tempo que você não vem aqui!
Julieta: Eu vim saber como você está, como anda os preparativos do seu casamento?
Bárbara: Ah, está tudo bem! Ou quer dizer não está nada bem, acho que vamos cancelar o casamento!
Julieta: Por que isso agora?
Bárbara: Eu e o Carlos estamos sem dinheiro! Vamos deixar pra nós casar mais pra frente.
Julieta: Não, eu faço questão de arcar com todos os custos do casamento.
Bárbara: Não digo, eu! O dinheiro é seu, e não é justo eu aceitar. Mas obrigado mesmo assim.
Julieta: Se você não aceitar estará fazendo uma desfeita comigo! É um presente.
Bárbara: Não, eu vou ver se fico ate mais tarde no serviço, se tranco a faculdade por um tempo! Mas o seu dinheiro, não!
Julieta: Um feito admirável em você minha filha é seu caráter! Não sei como fui errar tanto na educação da sua irmã! Ela é o seu oposto.

Belo Horizonte – Mansão de Clarisse – Manhã – Quarto.

Clarisse mostra suas fotos de casamento para Paula.
Paula: Você tem sorte de ter um marido, uma filha, uma família!
Clarisse: Mas você tem sua mãe, sua irmã.
Paula: Minha mãe sempre me odiou! Ela gosta mesmo é da Bárbara, justo ela que sempre a apunhalou pelas costas!
Clarisse: Você não pode deixar sua irmã ficar tramando contra você! Tem que dar um ponto final nesta historia.
Paula: Ela falou que só sai da minha vida, se eu der uma quantia em dinheiro bem gorda pra ela.
Clarisse: Quanto ela quer?
Paula: R$ 50.000,00.Esse é o preço para o meu sossego e para a minha liberdade.
Clarisse: Vamos ao banco comigo! Eu vou tirar esse dinheiro pra você!
Paula: Eu não posso aceitar! Eu estou precisando, mas isso que você quer fazer é uma loucura.
Clarisse: Esse dinheiro não vai me fazer falta! É um presente.
Paula pensa: Sua idiota! Só você mesmo pra me fazer rir. Bárbara má? Ela não faz mal nem pra uma formiga! Mas o que importa é que eu consegui!

Belo Horizonte – Casa de Julieta – Tarde – Sala.

Paula chega em casa.
Paula: Onde você estava? Ah, espera, me deixa adivinhar: Na casa da brega da Bárbara.
Julieta: Não se refira assim da sua irmã! Aliás ate agora eu não sei por que você a odeia tanto.
Paula: Foi você que fez eu odiar a Bárbara! Sempre a tratando melhor que eu, todas as vezes a dando mais privilégios, mais regalias.
Julieta: Isso é mentira! Eu sempre tratei vocês duas com igualdade.
Paula: Não seja sinica! Você sempre me odiou, mais sabe de uma coisa? Nós estamos quites, por que eu também te odeio sua velha!
Julieta dá um tapa na cara de Paula.
Julieta: Bem que eu devia te odiar, por que você é uma pobre! Pobre de espírito, pobre de amor.
Paula: Você vai me pagar caro por ter encostado essas suas patas imundas em mim! Eu juro.
Julieta: Eu nunca pensei que um dia ir ter que tomar essa atitude, mais vai embora da minha casa! Se você não me dá respeito, e me odeia, não deve ficar no mesmo lugar que eu.
Paula: É isso que eu ouvi? Você está me expulsando da sua casa? É isso velha?
Julieta cai no chão desmaiada.

Belo Horizonte – Hospital João XXIII – Noite – Sala.

Depois de desmaiar Julieta é levada para o hospital. Ao saber da noticia Bárbara vai imediatamente visitar a mãe.
Bárbara: Cadê a minha mãe? O que você fez com ela?
Paula: Ei, calma! ela está sendo examinada.
Bárbara: Se eu descobrir que foi você a culpada deste desmaio, você me paga.
Paula: E o que você vai fazer sua mula?
Bárbara: Eu vou te ensinar a s meter com gente da sua espécie!
Paula: Então vem! Eu estou esperando! Por que pra você encostar um dedo em mim, terá que nascer de novo.

Um comentário:

  1. Por favor, não para de escrever essa novela, é a que eu mais gosto sua1

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela será muito útil para nós.