Doce Veneno - 3° Capitulo - Bárbara promete justiça



CENA 1 - MANSÃO DE CLARISSE  - SALA -  DIA.

Paula chega. Clarisse já aflita andando de um lado pro outro.

PaulaVim assim que soube do ocorrido! Como você está?

Clarisse- Com medo, né? A Clara ainda é uma criança, coitada! Tenho medo do que eles podem fazer com ela.

Paula- E o tiro?

Clarisse- Pegou de raspão! Ta tudo bem. 

O telefone toca. Roberto atende.

Alberto- Espero que ainda não tenham envolvido a policia! É a vida da filha de vocês que está em jogo e se não fizerem tudo o que eu mandar eu acabo com ela. 

Roberto- Tudo menos isso! É só me dizer o que eu tenho que fazer. Fala quanto você quer.

Alberto- Um milhão de reais! Amanhã eu ligo novamente pra dar as novas orientações. Não tenta nenhuma gracinha ou já sabe, né? 

Clarisse- E então?

Roberto- Ele quer um milhão de reais! Vou agora mesmo ate o banco ver o que resolvo com o gerente de lá. 

Roberto sai. 

CENA 2 - CASA DESCONHECIDA  - QUARTO -  DIA.

Alberto entrega um prato de comida para Clara. Ela pega, e depois o jogo na cara dele.

Alberto- Ta bancando a engraçadinha, né? Pois tudo bem, agora vai ficar sem comer que é pra aprender que aqui eu dou as ordens e você só obedece. 

Clara- Eu quero sair logo daqui. Me tira daqui seu imundo, nojento. 

Alberto joga um copo com água na cara de Clara.

Alberto- Isso é pra você esfriar um pouco a cabeça. Fica ai quietinha e pensa bem no que ta fazendo. Ta pensando que isso aqui é brincadeira? Você ta seqüestrada garota, ta presa, e só sai daqui quando o babaca do seu pai me der toda a grana que eu to querendo. 

Ele amordaça Clara.

ANOITECE...
CENA 3 - MANSÃO DE LAURA  - SALA -  NOITE.

Bárbara entra já bastante nervosa, aos berros.

Bárbara- (Gritando) Cadê ela? Onde é que a Paula está?

Laura- Calma, Bárbara! 

Bárbara- Não me pede pra ter calma. A Paula dessa vez passou de todos os limites. O que ela me fez não vai ficar impune. Ela vai ter que acertar as contas comigo. 

Laura- O que ela fez de tão grave? 

Bárbara- Me fez perder meu filho. Foi isso que ela fez. Foi lá em casa ontem à noite, a gente brigou feio e eu acabei tendo um aborto espontâneo. 

Laura- Sinto muito!

Bárbara- Não precisa ficar com pena de mim. A Paula vai ter o que merece. 

CLOSE na expressão de ódio estampada no rosto de Bárbara. 

CENA 4 - APÊ DE PAULA - SALA -  NOITE.

Bárbara bate na porta. Paula atende e leva uma bofetada.

Bárbara- Brinca comigo de novo, sua vadia? Brinca pra ver o que te acontece.

Paula- Sua vaca! Sai daqui, vai embora logo da minha casa, sua vagabunda!

Bárbara- Eu vou acabar com você, Paula! Eu não vou sossegar enquanto não te ver apodrecendo na cadeia, na sarjeta. 

Paula- E por que eu seria presa? Não fiz nada demais. 

Bárbara- Pois é isso que eu to estranhando! Você ta quieta demais, há muito tempo sem aprontar, sem armar pra cima de alguém. Alguma você ta aprontando, eu tenho certeza. E eu vou descobrir isso vai ser agora.

Bárbara começa a procurar pistas por todos os cantos do apartamento. Ela vê o celular de Paula encima do sofá, o pega e lê. 

Paula- Se você não sair daqui agora eu juro que chamo a policia! Vai embora. 

Bárbara- (com o celular nas mãos) Bingo! Acertei em cheio, você ta mesmo armando pra cima de alguém. Mas que sujeira, em Paula? Seqüestrar uma criança. Tudo isso por causa de dinheiro. 

Paula pula encima de Bárbara, pega o celular o joga no chão e depois pisa encima, quebrando-o. 

Bárbara- Não se preocupe, eu vou investigar quem é essa tal Clarisse, e com o endereço em mãos eu juro que eu tiro sua mascara, e quando esse dia chegar eu vou ver você se estrepar, e tudo isso de camarote. Passar bem! 

Bárbara sai. Paula joga um vaso de flores contra a parede.

Paula- Eu te avisei e você não quis me ouvir, Bárbara! Agora não tem mais volta, dessa vez eu acabo com você!

Paula vai ate a cômoda, abre a gaveta e retira de lá uma arma. Sorri e coloca a arma entre a cintura e sai.

FIM DO CAPITULO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, ela será muito útil para nós.